Markin Pinta produz nova obra, desta vez, no cemitério municipal

O já conhecido artista plástico brumadinhense Markin Pinta não para de produzir novas obras em Brumadinho. Sempre com um olhar irreverente e moderno, Marquinhos desenvolve seu trabalho artístico em ambientes “pouco usuais” no mundo da arte. Dessa vez não foi diferente. Marquinhos resolveu produzir sua nova obra no cemitério municipal. Mais precisamente no túmulo de seus familiares.

Com essa obra, Marquinhos “desloca” o objeto (neste caso o túmulo) de sua função, que é ser um depositório de mortos, e o utiliza como suporte artístico. Como uma tela. De acordo com Marquinhos, algumas pessoas pensam que esse interesse dele em utilizar objetos relacionados à morte (a exemplo da exposição “Vai mais? Vô…”, onde o artista utilizou uma urna funerária cheia de balas e doces) e deslocá-los para uma “posição” mais lúdica, tem a ver com o fato de o artista ter perdido o pai muito cedo.

“Eles pensam que tem (a obra “Vai mais? Vô…) relação com a morte do meu pai, quando eu perdi meu pai eu tinha 14 anos. Talvez até tenha… eu não sei… mas a minha proposta não é essa. Tanto é que esse túmulo que eu estou pintando aqui não é do meu pai. Estou fazendo no túmulo que é da minha avó, porque agente precisa de autorização para fazer certos tipos de arte, senão vira vandalismo”, explica o artista.

Um dos motivos de Marquinhos para a realização desta obra, também é o fato de o cemitério ser o único lugar em Brumadinho onde não há uma obra ou pintura de sua autoria. “Existem trabalhos meus, principalmente no campo da publicidade, espalhados por Brumadinho inteiro. Só aqui no cemitério é que não tem. Tem apenas minha caligrafia”, diz o artista que já pintou muitos letreiros nos túmulos do cemitério.

 Markin Pinta não sabe qual será a reação das pessoas que passarem pelo túmulo de sua avó, mas é justamente essa infinidade de possibilidades de reações das pessoas que o atrai. “O que vai acontecer aqui hoje, agente não sabe a reação das pessoas. O cemitério é um lugar muito sombrio e com este trabalho de hoje vou trazer um pouco de cor para este lugar, onde as pessoas vão poder passar aqui e ter um sentimento diferente, como foi o do caixão daquela vez. Talvez as pessoas possam ter outro momento de reflexão”, reforça.

No próximo dia 02 de novembro, que é dia de finados, o cemitério vai ficar muito movimentado com os familiares que prestam suas homenagens aos parentes mortos. Essa foi uma das razões para que o artista fizesse sua obra agora, para alcançar o maior número possível de pessoas.

Markin Pinta contou ainda com a ajuda de Philip Arruda, que esteve o tempo todo auxiliando o artista na pintura do tumulo. Philip tem sido o braço direito de Marquinhos em várias de suas obras.

Uma coisa é certa: não dá para prever o que pode sair da mente criativa de Markin Pinta. Não há limites para suas ideias e as possibilidades que ele vislumbra são as mais variadas possíveis.

 

Fotos: Douglas Maciel

Anúncios

Brumadinho recebe o programa Altas Horas da Rede Globo

Foto: Juliana Ramos

Programa Altas Horas contou com a presença de vários artistas mineiros. Foto de Juliana Ramos

O Instituto Inhotim recebeu ontem, dia 26 de outubro, a equipe de gravação do Programa Altas Horas, da Rede Globo, apresentado pelo jornalista Serginho Groismam. A gravação do programa, que será exibido no dia 05 de novembro, aconteceu no Espaço Tamboril e reuniu cerca de 800 pessoas, entre alunos de várias faculdades da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) e de Brumadinho, além dos já tradicionais “Aspones” da Prefeitura de Brumadinho.

O programa contou com a participação de vários artistas mineiros como Milton Nascimento, que inclusive comemorou seu aniversário durante o programa com direito a bolo e parabéns. Skank, Rogério Flausino, Paula Fernandes e a mais nova cidadã mineira, Ivete Sangalo.

A escolha de Inhotim para a gravação do programa se deu em razão das comemorações do 11º Aniversário do Altas Horas. De acordo com Groismam, em nota da Central Globo de Comunicação, o local foi escolhido “por ser uma referência importante de cultura e natureza”. “Inhotim é o lugar ideal para manter a nossa tradição – comemorar o aniversário do ‘Altas Horas’ em lugares com história e personalidade”.

Com uma estrutura robusta, o Altas Horas pecou, na opinião de alguns expectadores, por não demonstrar muito da tradicional interação com o público. Isso se deu em razão do programa ser de caráter mais comemorativo, dando mais espaço para as apresentações musicais. Outro ponto fraco, segundo alguns presentes, foi a postura da cantora Paula Fernandes que interagiu pouco com o público. Por outro lado a cantora Ivete Sangalo foi um “poço” de carisma e simpatia e o Skank teve de repetira a música “Sutilmente”, devido aos intensos pedidos do público.

A gravação do Altas Horas trouxe muita música para Brumadinho e colocou, mais uma vez, Inhotim no circuito cultural brasileiro, valorizando acima de tudo o cidadão brumadinhense. Groismam disse que estava muito à vontade em Brumadinho. “Nunca me senti tão em casa como hoje”, afirmou o comunicador.

Conexão: era da comunicação ou da mobilidade?

Toda essa convergência tecnológica que estamos vivendo na atualidade promove grandes mudanças no comportamento moderno e na forma de interação entre as pessoas. No texto Cibercultura e Mobilidade, a Era da Conexão, de André Lemos, o autor explora essas novas características da sociedade moderna, onde a mobilidade é o “carro chefe” nas interações entre as pessoas.

A possibilidade de estar em vários lugares ao mesmo tempo (nos conceitos propostos de ubiquidade, pervasividade e senciencia) ou de acessar vários lugares ao mesmo tempo é característica fundamental desta comunicação sem fio (Wi-Fi). Aqui, a rede se desloca até o usuário e o envolve em uma conexão generalizada: tudo está conectado a tudo.

Como principal ferramenta desta mobilidade e conexão, estão os telefones celulares (hoje, na verdade os smart phones) que possibilitam este deslocamento e comunicabilidade, chegando mesmo a promover uma simbiose entre os espaços públicos e privados. Todos os espaços estão abertos a nossas ações particulares e comunicações que, não necessariamente, deveriam estar “abertas ao público”.

Todavia Lemos, em seu texto, questiona se existe uma verdadeira comunicação nestes meios modernos de mobilidade. Em uma citação de Luhmann expõe a improbabilidade de existir uma comunicação verdadeira tendo em conta o isolamento e a individualização da consciência; a não coexistência em uma mesma situação e que o fato de uma comunicação ter sido recebida, não quer dizer que tenha sido aceita. Tudo isto desbanca a afirmação de que estamos inseridos em uma sociedade da comunicação, mas sim que ampliamos nossas capacidades comunicacionais.

Contudo, a mobilização social tem se potencializado a partir destes dispositivos móveis (celulares ou smart phones) que conseguem reunir pessoas para ações com finalidades artísticas ou engajamentos políticos. São os smart mobs.  Esse uso de tecnologia para reunir multidões em prol de uma ação comum é um fenômeno muito interessante, pois consegue juntar pessoas que não se conhecem para uma ação em comum. As massas estão conectadas.

Finalmente, a internet colocou o ser humano em um novo patamar de interação e fluxo de informações. Agora, com a internet móvel, mais do que nunca, essa capacidade se potencializou. Nesta era da conexão o ambiente de acesso e troca de informações pode ser acessado em qualquer lugar, a qualquer tempo colocando o ser humano em um novo patamar tecnológico e comunicacional.

Eleições e o valor do voto

Quando estamos conversando com as pessoas nas ruas, nas rodas dos bares ou mesmo no trabalho, é comum a conversa convergir para a política local. Candidatos e mais candidatos a vereadores e cabos eleitorais antecipados puxam das bocas alheias novidades, notícias e fofocas das movimentações para o pleito do próximo ano.

Agora com o aumento do número de vereadores para a próxima legislatura (serão 13 vereadores) o que não falta são candidatos.  Todos os dias aparecem novos “salvadores” do município prometendo mudança e mais seriedade na administração pública e no legislativo. Novidade? Nenhuma!

Todas as vezes é a mesma coisa, o mesmo papo, e as mesmas promessas. Desta vez, de forma antecipada, já que faltam bons meses para o início do período de campanha. Mas a corrida pelos votos já começou.

Não faço aqui críticas a ninguém. Porém quero pedir aos eleitores brumadinhenses que estão lendo este texto que pensem bem no voto que depositarão no próximo ano. Analisem as opções de candidatos, o trabalho feito e o não feito.

Também temos que olhar com cuidado as críticas que muitas vezes são infundadas. Tem gente por aí que critica muito e não faz nada. Vivem do questionamento à postura alheia e não trabalha para o bem do município.

Lembrem-se do valor do voto. Que você está colocando no poder, por 4 longos anos, uma pessoa para tomar decisões por você, te representar e cuidar de seus interesses como cidadão.

Temos uma grande responsabilidade nas mãos.

1° Encontro de Portadores de Necessidades Especiais de Brumadinho

Venha prestigiar este importante evento que acontecerá na Câmara Municipal de Brumadinho. Traga seus amigos e familiares para conhecer um pouco mais do universo dos Portadores de Necessidades Especiais.

Haverá palestras, apresentações de dança e muita informação.

Participe!!!

Markin Pinta faz performance artística no Restaurante Dona Carmita

Obra do artista faz uma reflexão sobre as queimadas e as relações humanas

O artista plástico brumadinhense, Markin Pinta, promoveu uma performance artística no Restaurante Dona Carmita, no dia 02 de outubro. Marquinhos, como é conhecido, ateou fogo em uma de suas duas telas, a qual ele havia acabado de pintar.

Em uma das telas, Marquinhos desenhou a carvão uma paisagem da primavera, na segunda o artista reproduziu a mesma paisagem, porém em óleo sobre tela. Após o término das duas obras Marquinhos queimou a pintura a óleo e antes que o fogo consumisse toda a pintura ele a apagou e a pregou sobre a tela desenhada a carvão.

Com esse trabalho, Marquinhos representou as queimadas que tem consumido a vegetação das serras de Brumadinho e região. Mas para o artista a reflexão vai além das queimadas. “Minha obra vai um pouco mais longe do que a reflexão apenas sobre as queimadas, ela também reflete as relações humanas, como se quisesse dizer: ‘Não se queime com as pessoas, com seus amigos, com quem você gosta’”, definiu Marquinhos.

Marquinhos ainda tem planos de realizar mais uma de suas obras em Brumadinho. “Esta próxima obra será muito maior que todas as outras”, promete. O artista participou do projeto Pintando na Primavera, que reuniu vários artistas plásticos no Restaurante Dona Carmita em um verdadeiro atelier ao ar livre.

Veja algumas fotos:

Marquinhos e sua esposa Andréia