Aterro Sanitário de Brumadinho pode começar a operar em julho

Início das obras de terraplanagem - junho de 2010 - arquivo Douglas Maciel / Tribuna da Asmap

As obras do aterro sanitário de Brumadinho já estão quase concluídas. A Secretaria de Meio Ambiente de Brumadinho já está entrando com o pedido da Licença de Operação. Segundo Marcos Vinícius Ribeiro do Amaral, Diretor do Departamento de Limpeza Urbana, a secretaria já cumpriu todas as condicionantes do projeto e o aterro tem previsão para começar a operar em julho.

Segundo Marcos o aterro terá vida útil de 25 anos e, no fim da operação, deve chegar a receber até 81 toneladas de resíduos por dia – Brumadinho atualmente gera 26 toneladas por dia. “O aterro receberá o lixo apenas do município de Brumadinho”, afirmou Marcos desmentindo os boatos de que o aterro viria a receber os resíduos de outros municípios.

Laudo revela intoxicação no casal encontrado em pousada de Brumadinho

Segundo o  laudo realizado para avaliar a dosagem de monóxido de carbono nos corpos dos universitários Gustavo Lage Caldeira Ribeiro, 23, e Alessandra Paolinelli de Barros, 22, a presença de carboxihemoglobina está acima do tolerável. A carboxihemoglobina é um composto gerado a partir da união do monóxido de carbono com a hemoglobina, e teria a capacidade de impedir a circulação do sangue no corpo, provocando a morte.

A Polícia Civil informou que  a concentração da substância estava acima de 62% em Alessandra e de 68% em Gustavo. A exposição a essa substância por mais de uma hora, a níveis superiores a 60% poderia levar à morte rápida. Ainda estão sendo realizados exames toxicológicos complementares.

Os pais do casal descartam a possibilidades de que os dois jovens teriam feito um pacto de morte, ou ainda que tivesse ocorrido um homicídio seguido de suicídio. As famílias salientaram que o casal tinha um bom relacionamento apoiado pelas famílias.

Denúncias que não param mais

Agora as denúncias de Cláudio Teixeira apontam para a contratação de funcionários fantasmas pela prefeitura. Segundo Teixeira, várias pessoas recebiam salário da prefeitura e não prestavam qualquer serviço ao órgão.

Cláudio Teixeira retornou com suas denúncias contra a atual administração de Brumadinho na reunião da Câmara de Vereadores do dia 17 de março. Cláudio fez novamente o uso da tribuna para denunciar ações de improbidade contra a prefeitura.

Na ocasião Cláudio orientou ao presidente da câmara, Leônidas Maciel (PMDB), que afaste a servidora Daniele Rose Barcelos, uma vez que esta continua trabalhando na câmara com total acesso aos documentos de interesse da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), o que poderia atrapalhar os trabalhos da comissão. “Neste caso acredito que seria de bom dom que ela fosse afastada, até porque há uma recomendação ministerial solicitando a exoneração dessa servidora”, disse Cláudio.

 

Cláudio Augusto Teixeira faz novas denúncias na reunião da Câmara de Vereadores de Brumadinho no dia 17 de março

Cláudio ainda insinuou que a câmara teria cedido um servidor contratado para outro órgão municipal, o que configura um erro uma vez que servidores contratados não podem ser cedidos. “Alerto V.Exa. (Leônidas) também porque este caso ocorre aqui nesta casa”, disse ainda Cláudio.

Funcionários Fantasmas

Cláudio Teixeira denunciou que a Prefeitura de Brumadinho teria feito a contratação de servidores que não prestam serviços ao órgão, o que configura a contratação de funcionários fantasmas e desvio do dinheiro público. Cláudio apresentou uma declaração com firma registrada em cartório de um desses servidores fantasmas. O declarante acusa Breno Carone, que é presidente do PMDB de Brumadinho, de ser o responsável por assinar as folhas de ponto dos servidores fantasmas da prefeitura. O próprio declarante era responsável por buscar no Departamento de Recursos Humanos da prefeitura os respectivos contra-cheques. “Eu era servidor da Prefeitura de Brumadinho, mas as ordens do Sr. Breno Carone era de ficar a sua disposição sem efetuar qualquer tipo de atividade vinculada a Prefeitura de Brumadinho”, daria conta a declaração.

Segundo o documento, de dezembro de 2009 a julho de 2010 vários servidores foram contratados pela Prefeitura de Brumadinho. Esses servidores, contudo, não prestavam serviços ao município, mas ao senhor Breno de Castro Alves Carone (PMDB). Dois desses servidores prestavam serviços em Belo Horizonte, um era motorista de Breno Carone, enquanto a segunda era assessora de um Deputado na Assembléia Legislativa de Minas Gerais.

Segundo Cláudio os contra-cheques dos funcionários fantasmas, assim como a folha de ponto em branco assinada por Breno Carone já foram entregues ao Ministério Público e ao Conselho Superior do Ministério Público Estadual. “Espero que sejam tomadas as decisões mais corretas que os senhores vereadores entendam que sejam necessárias”, disse Cláudio.

Dificuldades nos trabalhos da CPI

A vereadora Lílian Paraguai (PT) respaldou na reunião da câmara do dia 17 as dificuldades que a CPI tem enfrentado na casa. “São muitas as dificuldades que a CPI enfrenta nesta casa. Até hoje, por exemplo, nós não tivemos assessoria jurídica que acompanhasse a contento os trabalhos da CPI em função de uma solicitação da CPI de que a assessoria jurídica fosse imparcial, e foi negado o pedido pelo presidente da casa de que a assessoria jurídica fosse externa, que não fosse de dentro da própria casa”, disse Lílian.

O presidente da câmara Leônidas Maciel (PMDB), por sua vez, discordou das afirmações de Lílian. “É público e notório que a posição deste presidente desta mesa diretora foi de nomear uma Comissão multipartidária, onde todos os partidos estão participando dela, exatamente para dar legitimidade aos atos desta mesa diretora”, disse Leônidas.

A respeito da solicitação de contratação de uma assessoria jurídica para os trabalhos da CPI Leônidas disse ser desnecessário. “A câmara já tem um contrato com uma empresa conceituada, respeitada”, disse ainda Leônidas. O presidente ainda afirmou que o escritório que presta serviços para a câmara está à disposição da CPI para auxiliá-la nos trabalhos.

Encontrados mortos casal de namorados em pousada na Serra da Moeda em Brumadinho

Os corpos do casal Alessandra Paolinelli Barros, 22, e de Gustavo Lage Caldeira Ribeiro, 23, foram encontrados na manhã da última quinta-feira em uma pousada de luxo localizada na Serra da Moeda em Brumadinho. O casal, que estava desaparecido desde a última terça-feira, estaria na pousada comemorando o aniversário de um ano de namoro.

A Polícia Civil investiga a possibilidade de o casal ter feito um pacto de morte ou ainda de um homicídio seguido de suicídio. Os corpos do casal não apresentavam nenhuma marca de luta ou violência. A polícia ainda investiga a possibilidade de o casal ter morrido por envenenamento, uma garrafa de vinho e taças com restos da bebida foram recolhidas e encaminhadas para análise.

Alessandra era estudante de medicina e Gustavo havia acabado de iniciar o curso de engenharia de produção. Segundo a delegada Cristina Coeli “a única coisa que podemos afirmar é que não houve envolvimento de uma terceira pessoa. Os funcionários da pousada também não ouviram nenhuma confusão”, afirmou a delegada.

Os corpos foram encontrados às 11h da manhã. A perícia indicou que as mortes teriam acontecido pelo menos 12 horas antes dos corpos terem sido achados. Segundo a delegada “os dois jantaram na terça-feira à noite e depois não saíram mais do quarto”, disse.

De acordo com o Inspetor Wenderson Duarte Braga, da Polícia Civil de Brumadinho as investigações do caso ficarão a cargo do Departamento de Crimes Contra a Vida de Belo Horizonte.