Uakti se apresenta em Brumadinho

O grupo instrumental Uakti se apresentou em Brumadinho no projeto “Inhotim em Cena” no dia 29 de agosto. Quem esteve presente pôde, além de visitar o museu e apreciar seus jardins, desfrutar da música sem fronteiras do Uakti.

Com seu repertório misto de música erudita e popular o Uakti proporcionou uma grande viagem sensorial pelo universo dos sons. Artur Andrés, Décio Ramos e Paulo Santos, usam instrumentos inusitados, construídos pelos próprios músicos com materiais dos mais diversos, como tubos de PVC, tampas de panelas e campainhas e cabaças, o que dá um toque particular e especial a música desenvolvida pelo grupo.

Em entrevista com o músico e integrante do Uakti, Décio Ramos nos falou da emoção de tocar e estar pela primeira vez no Inhotim. Disse estar “maravilhado, o show foi maravilhoso e o lugar é muito especial”. Segundo Décio o grupo se apresenta bastante e em outubro estarão no México, onde se apresentarão durante o espetáculo Órion de Filipe Glass.

O Uakti prepara o lançamento de dois novos trabalhos. Um instrumental e outro com canto que devem estar prontos até o fim do ano.

Anúncios

Círculo de Palestras com Marcelo Tas reúne centenas de pessoas no Minascentro

o auditório estava lotado

Quem esteve no Minascentro dia 19 de agosto para assistir ao círculo de palestras Falatas da UNI-BH precisou enfrentar fila para entrar. Centenas de pessoas vieram para assistir a palestra: Comunicação – Rumos e Tendências, que contou com a participação mais que especial dos comunicadores: Emanuel Carneiro, Diretor Presidente da Rádio Itatiaia; Geraldo Teixeira da Costa Neto (Zeca), que trabalha com convergência de mídias no Grupo Diários Associados; e o mais que aguardado Caco Barcelos, especialista em jornalismo investigativo e apresentador e coordenador do programa Profissão Repórter da Rede Globo, além do próprio Marcelo Tas, apresentador do conhecidíssimo programa CQC da TV Bandeirantes.

A conversa correu animada a respeito dos novos rumos da comunicação, principalmente com relação ao advento das redes sociais e das facilidades que a internet traz como um dos principais veículos da atualidade.

Comentou-se muito a maneira como a notícia é veiculada, hoje em dia, nos meios de comunicação. Como a falta de apuração da notícia pode causar uma série de boatos e inverdades, e a responsabilidade que o jornalista ou comunicador tem em veicular qualquer tipo de notícia hoje em dia. Também foi tema da conversa a forma como as informações chegam até as pessoas em tempo real, quase que instantaneamente, e como a busca pelo “furo de reportagem” e a “notícia em primeira mão” pode trazer consigo uma superficialidade muito grande e até certa irrelevância no que é veiculado como notícia nos dias de hoje.

Caco Barcelos ressaltou a importância de o repórter ir para as ruas e apurar as notícias nas quais esteja trabalhando. Disse que não há nada que substitua a ação do repórter em buscar e apurar as notícias, e que hoje é mais importante você dar a notícia de forma correta e aprofundada, com responsabilidade e ética ao invés de dar a notícia em primeira mão, porém de forma superficial correndo o risco de passar uma falsa informação.

Caco Barcelos e Marcelo Tas

Em resumo, todos que compareceram a palestra pôde absorver valiosos ensinamentos com relação às mídias atuais, embora, no meu ponto de vista, se falou pouco em mídias digitais, sites de relacionamento, suas relações com o jornalismo e as previsões para o futuro da comunicação. Perdeu-se um tempo valioso, falando em política, que, inclusive, será o tema do próximo Falatas em setembro.

profissionais da área de Marketing e Jornalismo prestigiaram o evento

Projeto de Lei de iniciativa popular tramita pela Câmara

Muita coisa aconteceu e “deixou de acontecer” nos últimos dias com relação ao Projeto de Lei de Iniciativa Popular que está tramitando na Câmara. A população continua se organizando e se mobilizando a fim de dar um jeito no imposto abusivo que foi cobrado este ano. O Executivo também (ao que parece) está elaborando um novo projeto para o IPTU 2011 (tomara que não seja aumento do imposto novamente).

A primeira comissão a analisar o Projeto de Lei de Iniciativa Popular deu parecer contrário ao projeto. Apenas a Vereadora Marta da Maroto votou a favor no Projeto de Lei de Iniciativa Popular. Os vereadores Adriano Brasil e Fernando Japão votaram contra o projeto.

Dessa maneira o parecer deveria ter sido votado na reunião do Plenário da Câmara do último dia 12, mas o presidente da Câmara José de Figueiredo Nem Neto retirou a votação do parecer da pauta poucos minutos antes da reunião. Esta atitude causou revolta em vereadores e cidadãos que estavam presentes para assistir a votação do Projeto.

Não deixem de ler o jornal Tribuna da Asmap que sai está semana e terá uma reportagem completa sobre o que tem acontecido com relação ao Projeto de Lei de Iniciativa Popular.

Prefeitura faz consulta jurídica sobre inconstitucionalidade da Lei de Iniciativa Popular encaminhada a Câmara de Vereadores

O Secretário da Fazenda de Brumadinho, Cid Barcelos, fez uma consulta jurídica a respeito da viabilidade da Lei de Iniciativa Popular que está para ser votada na Câmara de Vereadores. Segundo a consulta realizada, a Lei de Iniciativa Popular “padeceria de inconstitucionalidade na medida em que ofende as Constituições Federal e Estadual no que diz respeito à iniciativa do Chefe do Poder Executivo, bem como em relação à independência e harmonia entre os poderes”, pois “não detém o Poder Legislativo, mesmo através de iniciativa popular, competência para iniciar o processo legislativo que vise à redução de tributos, como facilmente se constata dos dispositivos da Carta Política de nosso Estado”.

O texto afirma que a iniciativa de lei, instituindo benefícios fiscais, isenção, redução ou parcelamento de tributos, por terem repercussão no orçamento anual, acarretando diminuição de receita, é de competência exclusiva do Governador do Estado e, no âmbito municipal, de iniciativa privativa do Prefeito Municipal (isso considerando o princípio da simetria).

Portanto, segundo a consulta realizada pelo executivo, o Projeto de Lei de Iniciativa Popular é inconstitucional, pois constitui usurpação de iniciativa e desrespeito ao postulado da independência dos poderes, o impulso de eventual processo legislativo que disponha sobre a redução do IPTU de Brumadinho. O texto ainda orienta, caso seja aprovada norma nesse sentido, a elaboração de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade por parte do Prefeito Municipal.

Não perca a reportagem completa na nova edição do Jornal Tribuna da Asmap que estará circulando em Brumadinho no dia 17 de agosto.

Agora vocêr pode comprar seus ingressos online para visitar o Inhotim

Quem deseja visitar o Instituto Inhotim já pode comprar os ingressos pela internet, com segurança e sem sair de casa. Desde o dia 03 de agosto é possível adquirir as entradas pelo site http://htticket.com.br/inhotim. O pagamento é feito através de transferência bancária, boleto, cartão de crédito ou de débito.

Após a confirmação da compra, o sistema envia um e-mail para o solicitante com uma senha e um voucher. Basta imprimir o documento e apresentá-lo no guichê específico na recepção do Inhotim para obter a pulseira que dá acesso ao parque. O novo sistema permite que o visitante tenha mais comodidade na compra do ingresso e evita a formação de filas na entrada do Inhotim, principalmente nos dias de grande movimento.

Além das entradas no Inhotim, que custam R$ 16, também está disponível para compra online o serviço de transporte interno, no valor de R$ 10. Pela transação online é cobrada uma taxa de conveniência no valor máximo de R$ 4,89.

Fonte: ISABELA MARSCHNER – Assessora de Comunicação

Senado aprova nova lei de resíduos sólidos (até que enfim…)

Depois de 21 anos de má vontade finalmente o Senado aprovou a lei que estabelece a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Trata-se de um marco histórico na área ambiental (marco que já deveria ter sido construido a muito tempo). Entre as novidades, a nova lei obriga a logística reversa – o retorno de embalagens e outros materiais à produção industrial após consumo e descarte pela população. Os municípios, por exemplo, ganham obrigações no sentido de banir lixões e implantar sistemas para a coleta de materiais recicláveis nas residências. Hoje, apenas 7% das prefeituras prestam o serviço. Isso nos faz lembrar este impasse com o aterro sanitário de Brumadinho.

“A lei consagra no Brasil o viés social da reciclagem, ao reforçar o papel das cooperativas de catadores como agentes da gestão do lixo, com acesso a apoio financeiro, podendo também fazer a coleta seletiva nos domicílios”, destaca Victor Bicca, presidente do Cempre – Compromisso Empresarial para Reciclagem. Existem no país cerca de 1 milhão de catadores, em sua maioria autônomos, que trabalham, as vezes, em condições precárias e sob exploração de atravessadores.
Agora eu me pergunto… foi preciso 21 anos de espera para sancionar esta lei para que os municípios começassem a pensar em ajudar as cooperativas de catadores de recicláveis e fazer com que os prefeitos municipais preocupassem com a impalntação de aterros sanitários?

Bem, as empresas que já adotam práticas em favor da reciclagem, dentro do conceito de sustentabilidade, terão maior campo para expansão. “A partir de regras claras”, diz Bicca, “a reciclagem finalmente avançará no país, sem os entraves que a inibiam, apesar dos avanços na última década por conta do dilema ambiental”. E ele acrescenta: “Sem um marco regulatório nacional, a gestão do lixo estava ao sabor de leis estaduais que variam de região para região e, em alguns casos, impõem taxação e metas para a recuperação de embalagens após o consumo”. O empresário lembra que, segundo estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o país perde R$ 8 bilhões por ano ao enterrar o lixo reciclável, sem contar os prejuízos ambientais.

Vamos torcer para que esta lei seja respeitada de verdade.