Quem lê poesia?

Imagino que todos que gostam de poesia tenham uma relação muito pessoal com a palavra. O som das sílabas, as formas das letras, as junções de fonemas e os diversos significados que cada palavra pode ter são um infinito particular de possibilidades nas mãos de um poeta. Com todo este “material” (como diriam os concretistas) o poeta pode alçar voos distintos, ousar, buscar novas formas de significado e significância.

Não entendo como alguns veem a poesia como uma forma menor de literatura. No Brasil não se lê muito poesia, mas esta realidade está mudando. De acordo com o instituto Proler no relatório “Retratos da Leitura no Brasil” (dados de 2008), a poesia é o quinto gênero na preferência dos leitores (28%). Deste montante, as mulheres são as que gostam mais do gênero (32%). Pode parecer pouco, mas não é. Um dado é ainda mais animador: jovens entre 11 e 17 anos tem a poesia como gênero preferido. O gosto pela poesia tem começado cedo se tornado uma atividade dos jovens.

Tenho minha própria teoria quanto à falta de interesse de alguns pela poesia: as pessoas não gostam desse gênero porque não tiveram cuidado e paciência para ler (ou talvez por não serem sensíveis ao texto poético). Como não gostar dos sonetos de Vinicius de Moraes, dos poemas esotéricos de Fernando Pessoa, da suavidade de Garcia Lorca, da densidade de Cummings ou dos poemas-reportagem de Fabrício Marques? Poderia eu citar muitos outros, mas a intenção não é essa.

Certamente um fato tem contribuído para o aumento do interesse pela poesia, o aumento no número de eventos como saraus, tertúlias, poemações, poemashows, encontros e noitadas em bares e em clubes. Espaços que animam as leituras e performances de poesia como o Verão Poesia, o Belô Poético, as Terças Poéticas no Palácio das Artes e os encontros com a poesia na Praça 7, todos em Belo Horizonte, são exemplos de como têm crescido os espaços voltados para a leitura e apresentação de poemas.

A poesia talvez seja uma forma de ver o mundo, quem lê poemas consegue ver por vários ângulos diferentes.

About these ads

Sobre Douglas Maciel

Jornalismo, Atualidades, Esperanto, Cultura, notícias
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s